moralina 10 mg

O eterno silêncio.

In Sem categoria on Janeiro 24, 2015 at 10:51 pm

Tal qual arma cairia do céu desmantelada,

Se quiçá,
Ouvisse um grito entre quatro paredes.
Mas em algum lugar ele existia, e sempre estaria.

Sempre poderia…
Eternamente existir,
Para os que ouviam a música e sabiam dançar,
Ou que, surdos em silêncio e na inocência estavam lá.

Entre o peso e a leveza,
A surdez e a incerteza.
O grito carregado,
De toneladas e toneladas de um vazio silenciado.

CAM00361

Anúncios

Redemoinhos

In Sem categoria on Junho 16, 2013 at 9:26 am

Sentia um vento de lá pra cá,
Uma sensação daqui pra lá.

O vento soprava…

O moinho rodava,
Girava.

OHMMMM.

Gigantes malditos!

dom-quixote

Carta de despedida.

In Sem categoria on Maio 4, 2013 at 10:24 pm

Carta de despedida.

Espero que quando o teu sorriso cínico se transborde em alguma alegria passageira, consigas lembrar-se dos momentos que estive ao seu lado, sempre fiel. Vou para nunca mais voltar, levo as cervejas, a música, meu beijo e o pouco encanto do meu corpo.

Se pudesse, levaria todo o resto de nossas coisas, até você também. Seu mistério, e charme indefinidamente desmedidos, imorais, totalmente proibidos. Fique com os outros que são melhores que eu. Todos eles, sem exceção, e ao mesmo tempo, sua puta pós-moderna.

Aposto que lhe apaziguam seus sentidos arredios, lhe fazem estremecer de prazeres e balbuciam certas coisas nos momentos íntimos.

Lhe enxerguei outro dia na rua. Que sujeito “heim”? O mais improvável, um playboy de merda. Daqueles que fazem academia, e curtem uma baladinha eletrônica.

Traidora!

Ainda me vingo.

Solidão, sua vagabunda!

 

solidão