moralina 10 mg

Olhos que enxergavam o invisível.

In Sem categoria on Dezembro 18, 2011 at 5:33 pm

Sugava a energia da face, era vida, perto do imaginário pensante. Que se queres, um dia, um dia daqueles, eliminei ou vivi por tal alma, um dia… Face resplandecida em tal face desnuda, face vida. Face sem vida, face vivida, face espiritual. Um sonho. Face surrealista. Derretida?

E era face com olhos para o invisível. Que enxergava a vida, a morte, os apegos terrenos e os vícios supremos; face dependente de luz, como uma maquina desalmada, aparelho com olhos que captavam um alento. Controvérsia subentendida nas pernas que caminhavam dependentes de uma ideia extravagante, que se materializava e tornava-se um ponto acendido. Entre coisas e um nariz. Sejam eles o que forem.

Um eu escondido, entre eu e algo iluminado, ocultado dentre eu e trevas.

Sonho camuflado em face que cobiçava a cura.

Sonho camuflado em sonhos que se camuflavam em realidade.

Sonho camuflado em olhares.

Sonhos distantes. Milenares…

Existentes e imperceptíveis.

Anúncios
  1. Dá uma verificada no meu blog
    http://umamentepensante.bloggeiro.com

    Beijos

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: